Morador de rua passa em concurso do BB

Enquanto vivia de fazer bicos e pedir esmola, Ubirajara Gomes da Silva, de 27 anos, passou quase um ano carregando pelas ruas do Recife uma folha de papel dobrada com o comprovante de classificação no concurso do Banco do Brasil.


Ubirajara diz que prestou cinco concursos em dois anos (Foto: Diário de Pernambuco)

Neste mês, foi convocado para assumir o cargo de escriturário, cujo salário inicial é de R$ 942,90, mais gratificação de 25%.

Silva ficou na 136ª posição, entre 171 classificados para trabalhar no Recife. A aprovação no concurso não significa apenas um emprego para ele. Morador de rua há 12 anos, Silva finalmente vai realizar o desejo de ter um lar.

Nas últimas semanas, ele tem vivido dias de “celebridade” nas ruas da capital pernambucana e também no site de relacionamentos Orkut – quase 400 recados foram postados em seu perfil com saudações pela conquista e votos de boa sorte, principalmente de candidatos a concursos.

Mas como um morador de rua tem um perfil no Orkut? Silva diz que costuma usar computadores em bibliotecas públicas e lan-houses que cobram preços baixos pelo uso. “Eu escolho entre comer ou acessar a internet”, conta.

Foi pela rede mundial de computadores que ele leu o edital do concurso, conseguiu material de estudo e trocou informações com outros candidatos. E foi também pela internet, em setembro do ano passado, que ele ficou sabendo que havia sido classificado no concurso. A boa notícia veio três dias antes de ele completar 27 anos.

O concurso teve mais de 19 mil candidatos inscritos. A prova, realizada em agosto do ano passado, tinha 150 questões – ele acertou 116. Mas antes de tentar entrar no Banco do Brasil ele já havia prestado quatro concursos nos últimos dois anos – sempre para o cargo de auxiliar administrativo, de nível médio.

“As pessoas me diziam para prestar para cargos de nível fundamental, mas eu sabia que podia tentar para nível médio”, diz.

Silva sempre carregava uma pasta cheia de cópias de apostilas e provas anteriores e estudava em praças e bibliotecas.

Silva diz que fugiu da casa onde morava com a avó materna e quatro irmãos aos 15 anos. Ele estava na 6ª série, em 1995. Em 2001, decidiu voltar a estudar e recebeu diploma de ensino médio após ser aprovado no supletivo. Ele diz que passou a ler até três jornais diários de grande circulação por dia, além de livros sobre economia, um de seus assuntos preferidos.

Silva pensa em fazer universidade. Suas preferências são pelos cursos de ciências contábeis, economia e administração. “Esses cursos podem ajudar bastante o trabalho no banco”, diz.

Há até alguns dias atrás, Silva vivia na esquina da rua da Amizade com rua das Pernambucanas, no bairro das Graças, perto da região central de Recife. Agora, um amigo que ele conheceu pela internet ofereceu abrigo em sua casa até que ele consiga uma casa para morar.

Esse mesmo amigo, que também passou em um concurso público, mas ainda não foi chamado, pagou a parte de uma dívida de Silva para limpar o nome dele no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), uma das exigências especificadas nos editais do BB para que os candidatos possam assumir o cargo. A outra parte do empréstimo Silva parcelou em 60 vezes e pretende pagar com o salário que passará a receber.

De acordo com o Banco do Brasil, se Silva fizer todos os exames médicos necessários e providenciar toda documentação até a semana que vem, ele assumirá o cargo de escriturário no dia 7 de julho, no Centro de Operações do BB, localizado no bairro Recife Antigo. Silva afirma que fará cabelo e barba e irá vestido com a roupa nova que ganhou de amigos.

Fonte: G1

9 comentários

  • rapaz, isso é muito estimulante para quem está ralando para passar num concurso, como é o meu caso. se ele conseguiu, qualquer um é capaz de conseguir.

  • “se ele conseguiu, qualquer um é capaz de conseguir”.

    Complementando o comentário do Mota: Se ele conseguiu, qualquer pessoa que tenha igual disciplina e força de vontade é capaz de conseguir.

  • “Se ele conseguiu, qualquer pessoa que tenha igual disciplina e força de vontade é capaz de conseguir”.

    complementando o complementado: …se a velha preguiça deixar, se a preguiça deixar.

  • Caramba um Aristides de verdade, dou meu reino se não for o Nertan frescando. hehehe

  • “se ele conseguiu, qualquer um é capaz de conseguir”.

    Não achei a frase interessante, pois não podemos tirar o mérito e a capacidade do Ubirajara. Ele mostrou que, se a candidato a um concurso estudar de verdade e não desistir ele acaba conseguindo. Conheço muita gente que faz cursinho, mas não estuda em casa e nos finais de semana vai para as baladas da vida, esses são os responsáveis pela proliferação dos cursinhos (eles agradecem). Tenho muitos amigos que passaram em excelentes concursos como Polícia Federal, por exemplo, e nunca passaram na frente de um cursinho. Temos que sermos mais sinceros com nós mesmos e aceitarmos que se não estudarmos muito não seremos capazes de aprender de verdade.

    Ubirajara você está de parabéns!

  • toda pessoa que tem força de vontade consegue tudo oque quer.seja um morador de rua, seja uma dona de casa,o essencial é estudar muito e esperar sua hora para a vitória.abraços ao Ubirajara.

  • Mais do que passar em um concurso, Ubirajara tem capacidade e disciplina para ser o que quiser, afinal morar na rua e estudar p/concurso é punk. Parabéns! Cumprimento tbém as pessoas que o apoiaram nessa trajetória, pois competir por uma vaga não impede ninguém de ser solidário, ao contrário.

  • Silva, vc é merecedor do que aconteceu não pelo fato de ser um morador de Rua, e sim, pela sua disciplina, determinação e força de vontade… vc não é melhor e nem pior que nimguém. Vc tem um projeto de vida beijos boa sorte continue concerteza passará em um melhor …..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *