Poema

Estava aqui murmurando com o além, chorando algumas perdas, dívidas, essas bobeiras todas, olho para o lado, pego um livro sem grandes intenções, o autor é Dimas Macedo, cearense, não sou muito chegado à poesia, confesso, abri na página 44 e dou de cara com esse poema magnífico, a minha cara, parece que escrevi.

Curvado dentro em mim
mergulho no absurdo,
entre tédio que devasta
o quarto surdo.

Impôem-se as réstias,
retraio-me ao recinto
e novamente contemplo
a solidão que sinto.

A morte me pressinto.
A dor é o labirinto.
O caos minha aventura.

E em todos os compassos
o ser reage aos passos
pousados no silêncio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.